O GIZdigital já escreveu algumas reflexões sobre avaliação, não é pois, novidade todas as dificuldades e, inclusivamente, subjectividades, inerentes ao acto de avaliar.

É com estas dificuldades em mente que o professor deverá trabalhar, preparar e planificar os tempos lectivos.

Curiosamente, se se fizer uma pesquisa rápida num motor de busca, surgem alguns sites com planificações tipo! Confesso que tal utilização não me apraz e tenho alguma dificuldade em entendê-la, pois, se cada aluno tem a sua especificidade, se cada turma é uma determinada realidade, também cada professor, para além de ter de ter em consideração estes aspectos, tem a sua forma singular de trabalhar, organizar e comunicar!!!

A meu ver, um professor conseguirá promover um processo de ensino-aprendizagem tão mais eficaz, quanto maior for o conhecimento que tiver da turma e dos respectivos alunos, quanto maior e mais diferenciado for o seu conhecimento de metodologias e estratégias, quanto mais diversificada for a panóplia de recursos didácticos que lhe são familiares e que estão ao seu dispor e dos seus alunos . Com todo este seu “know-how”, o qual deverá estar em constante construção, desenvolvimento e actualização, o professor deve trabalhar criteriosamente na planificação da(s) aula(s), com o devido enquadramento temático, bem como, reflectir sobre a forma mais adequada de realizar a avaliação, face à planificação delineada.

Seguidamente, partilho a planificação de uma aula laboratorial da componente de Química de 10º Ano de Escolaridade – Análise elementar por via seca (AL 1.2) – enquadrada na Unidade 1: Das estrelas ao átomo.

PLANIFICAÇÃO_Aula laboratorial – AL 1.2

Assim, ao longo desta desta os alunos são avaliados por escrito (através da resposta a questões pré-laboratoriais e pós-laboratoriais), por observação, oralmente (tendo em consideração as suas intervensões, nomeadamente aquando da discussão de resultados), mas também se auto-avaliam.

Analisando esta planificação, penso que, de futuro, será mais proveitoso para o processo de ensino-aprendizagem, na aula anterior à realização da actividade laboratorial em si, o professor faça a abordagem inicial à mesma e que os alunos respondam às questões pré-laboratoriais. Desta forma, o professor poderá tomar consciência que alguma lacuna a aprendizagem e, assim, intervir na aula da realização da actividade, no sentido de a colmatar.